quinta-feira, 20 de junho de 2013

Cusco - O Vale Sagrado

26-05-2013

Domingo de manha cedo estava tendo missa na catedral de cusco e aproveitei essa oportunidade para visitar a igreja sem ter que pagar os 25 soles. Fiquei feliz por não ter pago, pois não achei muito interessante.  Cusco tem muitas igrejas, numa tentativa clara de impor a religião católica aos locais. Cusco é uma cidade fortemente católica mas onde ainda se vê que a antiga religião inca não foi esquecida de todo.


Depois da curta visita a Catedral, em frente a Plaza de Armas, as 9h, saiu o micro ônibus que levaria ao passeio pelo vale sagrado. O custo foi de 23 soles pelo passeio mais 20 soles pelo almoço ( que me arrependi posteriormente).
Ainda em Cusco recebi uma noticia que me frustrou bastante. O passeio não incluiria as ruínas arqueológicas e o mercado de Pisac. Na noite anterior a ponte que segundo eles era o único meio de acesso a Pisac habia quebrado ( ainda tenho duvidas sobre a veracidade dessa informação, me contaram posteriormente que há um outro caminho, porém muito longo).
De coração partido, segui então para Chincero.
Lá nossa primeira parada foi na casa de uma família andina que nos mostrou um pouco da arte textil ( em espanhol e em inglês, como toda boa família andina que se preze) , e nos serviu mate de coca. Esses acordos com as famílias devem ser comum, onde nós ,turistas ávidos por ver llamas e roupas tipicas peruanas, temos essa oportunidade mesmo que um pouco teatral ( o que não quer dizer que não seja legal) e as famílias podem nos vender seus produtos, já que elas montam uma mini-feira. Os produtos são legais mas o preço não muito, e eu seguraria meu impulso consumista nesse momento pois oportunidades melhores irão aparecer aos montes.






















Depois da visita, pausa pra fotos no local, pois tinha uma vista realmente incrível com uma vista maravilhosa. Nos afastando um pouco do local, mas ainda em Chincero passamos pela igreja e adentramos nas ruínas arqueológicas. No final passamos pela comunidade onde há uma feira com mais variedade e preços muito mais acessíveis do que os praticados pela família andina. Gostei de Chincero, gostei da paisagem espetacular, das ruínas e das feiras mas o ponto alto do dia ainda chegaria.

Chinchero

Chincero

Chincero

De Chincero, seguimos rumos a Urubamba.
Uma coisa que não posso cansar de dizer é que o caminho entre esses locais, a paisagem é muito bonita.
Em Urubamba tivemos uma vista do alto da cidade ( que é bem mais impressionante que a cidade em si), paramos apenas pra almoçar. Era um restaurante peruano de qualidade duvidosa, a comida era ruim e o atendimento também. A questao é que não há muita opção, a agencia irá escolher um restaurante a escolha deles, que pode ou não ser bom, não há outros locais pra comer no caminho e uma saída possível seria levar o que comer, apesar de pouco pratico, mas ainda melhor do que pagar os 20 soles pelo almoço ruim.
Vista de Urubamba


De Urubamba fomos pra Ollantaytambo, o top do dia. Ha tanto o que se falar sobre o local, mas o objetivo do post não é uma aula de historia inca, o que posso dizer é que a toda hora pensava “Wow, que local incrível, como eles conseguiram fazer isso?” Fiquei encantada, não só com a arquitetura mas principalmente com a historia do local e a paisagem. Nem senti tanto o cansaço de tantas subidas e descidas. Na entrada do local há uma feira super legal, que me rendeu algumas fotos e umas compras. Deixamos Ollantaytambo umas 17:30,um pouco antes do sol se por , e chegamos em Cusco por volta de 19h.  
Ollantaytambo

Ollantaytambo

Ollantaytambo





Nenhum comentário:

Postar um comentário